ATECS - Assessoria Contábil      

Notícias

Dia 20/08/2014 - Empresa

Empresas usam menos créditos tributários



A fraca atividade econômica frustrou a arrecadação federal, que cresceu apenas 0,28% real no primeiro semestre, em comparação com igual período de 2013, mas a menor utilização de créditos tributários pelas empresas teve um efeito contrário e favorável à Receita. Os créditos tributários de IR e CSLL ascendem a R$ 66 bilhões, relativos a prejuízos acumulados pelas empresas ao longo dos anos, e podem ser abatidos de pagamentos futuros de tributos. Desses créditos, 52% são de setores ligados à indústria de transformação e a alguns ramos do comércio.

A Receita limita a 30% do imposto devido a cada exercício o uso dos créditos tributários na compensação do pagamento de impostos. Se o ritmo de atividade fosse maior e as empresas lucrassem mais, elas poderiam abater mais em valores correntes com os créditos acumulados em razão de perdas no passado. Mas, com a lucratividade mais baixa, a expectativa da Receita é de que apenas R$ 7 bilhões em créditos tributários sejam de fato usados, o que acaba por favorecer a arrecadação.

Nada disso basta, é claro, para o governo ficar mais próximo de cumprir a meta de superávit primário.

A Receita tenta ajudar o governo a elevar o superávit. Para isso, segundo tributaristas, dava sinais de que iria reduzir os valores de entrada no Refis. Isso foi feito. Mas, dada a evolução decepcionante da arrecadação, poderá ir além, facilitando ainda mais a entrada no programa.

A Medida Provisória (MP) 651, anunciada como parte de um conjunto de medidas para beneficiar o setor privado, teve clara motivação tributária. Por ela o governo permitirá às empresas que aderiram ao Refis o uso de créditos tributários para antecipar a quitação de débitos parcelados com vencimento até dezembro de 2013. Mas o benefício, válido até novembro, é restrito às empresas que pagarem em espécie 30% do valor devido. A MP ajuda a arrecadação, notou o secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto. E a permissão de abatimento de créditos tributários é positiva para o governo. A vantagem para as empresas, disse ele, é um ganho de caixa pelo uso imediato dos créditos.

A Receita decidiu ainda que as empresas em processo de liquidação ou de falência, bem como as que venderem ativos para pagar dívidas à União possam usar integralmente os créditos tributários para quitar o imposto sobre ganhos de capital. O governo esperava arrecadar R$ 12,5 bilhões com o Refis e elevou a projeção para R$ 15 bilhões neste ano.
Fonte: O Estado de S. Paulo

Voltar

Acompanhe nosso blog

VEJA TODAS AS PUBLICAÇÕES

Siga-nos nas Redes Sociais:    Siga-nos no Twitter  Curta nossa Fã Page  Siga-nos no Instagram


Últimos vídeos postados

  • Normas, Programa e Atualizações - Tudo sobre IRPF 2019 O imposto de Renda da Pessoa Física começa a ganhar espaço na vida de todo profissional contábil e da população em geral. São muitos os detalhes que devem ser considerados nessa obrigação e este ano o prazo para a entrega das Declarações está ainda menor! Nosso Webinar que tratará todas as novidades do IR 2019 e te deixará preparado para este desafio. Via: Portal Contábeis
  • Tendências para área de Finanças e Contabilidade Quer saber quais são as tendências de contratação e remuneração para área de Finanças e Contabilidade em 2016? Nossos consultores dão um panorama sobre o setor e revelam o que é valorizado pelas empresas.

Últimas notícias postadas


ATECS - Assessoria Contábil

Rua Coronel Claussen 95 - Várzea - Teresópolis/RJ     /     (21) 2042-2803

© Copyright 2012 - Atecs - Todos os direitos são reservados

www.digicriativa.com.br